instagram takipci satin alma

Quer mudar para os EUA? Comece a mudança por você!

Morar nos Estados Unidos é um desejo de muitos brasileiros. Os motivos são diversos. Buscar melhor qualidade de vida, melhor emprego e oportunidades, uma transferência de cargo, a tão sonhada aposentadoria… enfim, independente da motivação, para ser capaz de transformar esse desejo em realidade, você primeiro precisa responder a si mesmo as seguintes questões: “Eu sou capaz de me adaptar?”, “Sou capaz de mudar de comportamento?”, “Eu sou capaz de aprender?”. Para toda e qualquer mudança que enfrentamos, deveríamos responder sim a essas perguntas; a mudança em si exige de nós que saiamos da zona de conforto para enfrentar o desconhecido e vencê-lo. Isso pode nos trazer medo, ansiedade, uma confusão temporária, mas acima de tudo acaba gerando muita determinação.

As questões são muitas, as possibilidades diversas. Noites sem dormir, muitos planos e desejos. Conselho de quem já passou por isso: não sofra sozinho nessa hora. Uma mudança desse porte deve ser uma decisão familiar pois nesse período de adaptação, onde não existe receita, você e a sua família deverão encontrar o equilíbrio juntos.

É claro que mudar para melhor é fácil. Casa, carro, ar condicionado, ruas tranquilas, limpas e sem trânsito, segurança, tecnologia. Enfim, acredito que para todos nós, o mais difícil mesmo seja viver em uma nova sociedade. São novos costumes, novos valores, nova língua, novos comportamentos. Goste ou não, esse aqui é um país de primeiro mundo. Não tente se encaixar nessa sociedade com seus antigos hábitos. Mudar de pensamento é mandatário. Se você tentar aprender as coisas boas, vai desfrutar do melhor que essa terra tem pra te oferecer.

Aqui regras são para ser seguidas e autoridade é para ser respeitada, 10 é 10, não é 9.99. Papéis e documentação tem que estar dentro das exigências, não tem ‘depois eu trago’. Todo o trabalho é digno e tem o seu valor. A gorjeta tem que ser paga. Os impostos tem que ser declarados. Agora pare e pense, tem algo de errado nisso? De maneira nenhuma! Nós, brasileiros é que temos costumes, algumas vezes, deturpados provenientes, eu diria, de um ‘gene’ português de exploração e ganância, de levar vantagem em tudo. Mas é preciso mudar.

Moro nos EUA há 8 anos, sou mãe de 3 filhos, sendo 2 nascidos no Brasil e a minha filha mais nova nascida aqui. Eu e meu esposo temos uma empresa de tecnologia e soluções web, e a oportunidade de trazer nossos negócios para os EUA foi maravilhosa, empolgante e ao mesmo tempo um desafio. Conto em outra oportunidade. Enfrentamos tudo isso, mas conseguimos nos adaptar sem muitos problemas.

Vou contar minha jornada por aqui, compartilhando detalhes práticos da vida na América como a adaptação das crianças na escola, o custo de vida, as melhores vizinhanças, entre outras coisas. Informação nessas horas vale ouro, literalmente!